<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script> <!-- uz_336 --> <ins class="adsbygoogle" style="display:inline-block;width:336px;height:280px" data-ad-client="ca-pub-2659980373728363" data-ad-slot="7334352839"></ins> <script> (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); </script>

Um Apocalipse Zumbi pode não ser provável, mas também não é impossível

Enquanto os precavidos se preparam, um professor de Harvard considera o que seria necessário para isso acontecer. Muitos acham que assistir "The Walking Dead" ou várias outras séries de TV e filmes com tema de zumbi é somente pura diversão. Afinal de contas, o conceito de zumbi não faz muito sentido.

O possivelmente poderia acontecer para transformar uma pessoa até então normal em uma máquina babona comedora de gente, possivelmente com um cérebro morto? Isso é uma pergunta questionada no programa "Apocalipse Zumbi" do Discovery Channel (terça-feira, 18 de Dezembro às 22:00 h.), que apresenta pessoas reais se preparando para o pior e cientistas ponderando sobre o que pode acontecer de verdade. A má notícia? Uma pandemia zumbi pode não ser plausível ou provável, mas impossível? Não exatamente. Steven C. Schlozman, um professor de Harvard e autor de "The Zombie Autopsies – Secret Notebooks from the Apocalypse" (A Autópsia Zumbi: Diário secreto do apocalipse, ainda não traduzido para português), falou com HitFix sobre o que deveria acontecer para as pessoas se transformarem em zumbis (resposta rápida: muita coisa).

Schlozman explorou o assunto como uma saída necessária para lidar com um problema maior da vida real - a batalha de sua esposa contra o câncer de mama em 2008 (a boa notícia é que agora ela está bem). "Meus filhos eram pequenos e eu estava acordado até tarde assistindo a "A Noite dos Mortos-Vivos" e eu pensei que se existissem realmente zumbis, eu esperava que pudéssemos pegá-los e descobrir o que havia de errado com eles. É impossível não se perguntar o que fez aquilo ao cérebro deles." Ele achou os zumbis atraentes por muitas razões diferentes das de outras pessoas - puro escapismo estrelado por um inimigo que é quase complacente. "A razão dos zumbis ressoarem tão fortemente é por eles serem reconhecíveis.

Os monstros somos nós, como em "Eu vi o monstro e somos nós", por isso é difícil transformar os zumbis em inimigos", diz ele. "Eles também são fáceis de escapar. Você pode comer um sanduíche enquanto tenta fugir porque eles se movem lentamente. E mesmo assim, sempre estragamos tudo (nos filmes)."

Tendo crescido como um fã de filmes de terror, e tendo "reconhecido mais conscientemente a crítica social presente neles", ele tomou uma abordagem considerada acadêmica para o assunto. "Se você fosse transformar uma pessoa em um zumbi com um agente infeccioso, e é isso que eu tentei fazer no documento médico falso e livro que eu escrevi, a questão é “o que iria criar as vítimas desta pandemia e as transformaria em algo semelhante a zumbis?” Isto seria altamente improvável, mas, e isto é ficção científica, teria que ser um vírus de engenharia, e teria que deixar partes do cérebro intacto ou o zumbi não se manteria." Mas como você cria uma fome zumbi, tipo "oba, cérebros"? Isto foi um problema complicado para Schlozman. "Toda vez que você está realmente doente, com febre, você perde a fome. Você nem sequer sente vontade de comer quando está resfriado. Mas eu descobri que existem doenças, e elas estão indicadas na obesidade patológica, que fazer você se sentir tanto doente quanto faminto."

E se a pessoa por acaso gostar de carne humana, melhor ainda! Claro que isso não é tudo que deveria acontecer para criar um zumbi. "Você deve mexer, mas não retirar completamente, seu cerebelo e seus gânglios, as coisas que permitem a eles caminhar com certa fluidez, para que exista aquela marcha cambaleante. Você pode imaginar todas essas coisas juntas em uma mistura perfeita para criar as vítimas."

Infelizmente, alguns elementos dos filmes clássicos de zumbis não funcionariam, nem mesmo sob as melhores circunstâncias. "Isso não poderia ser transferido através da mordida e os mortos não ressuscitariam." O professor tem sua própria opinião no debate sobre zumbis muito rápidos contra os lentos. "Apesar de eu achar os zumbis mais rápidos de "Extermínio" mais prováveis, os zumbis lentos são mais assustadores para mim. Se algo corre rapidamente em sua direção e obviamente quer te atacar e devorar, você não tem tempo para pensar. Mas se ele está tropeçando atrás de você, parece sua namorada e você espera que seja, existem todos esses pensamentos em nossa cabeça que fazem com que os zumbis mais lentos sejam mais perigosos."

Curiosamente, a improbabilidade dos zumbis acontecerem de verdade, rápido ou devagar, aparentemente é uma decepção para algumas pessoas. "Na Comic-Con, as pessoas perguntavam se os zumbis poderiam acontecer e quando eu disse não, eles vaiaram", disse ele, rindo. "Gente, vocês não querem que os zumbis sejam reais, qual é?"

Fonte: hitfix
Traduzido por: Natália Dino Peres